“SETEMBRO AMARELO” ABORDA A VALORIZAÇÃO À VIDA E COMBATE AO SUICÍDIO NO RN


O mês de setembro faz alusão à Campanha Mundial de Combate ao Suicídio. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a cada 40 segundos uma pessoa tira a própria vida em algum lugar no mundo. Em 2017, foram 175 casos registrados no Rio Grande do Norte, com base nos registros da Secretaria Estadual de Saúde (Sesap). De janeiro a julho deste ano, soma-se 94 tentativas de suicídio em Natal, de acordo com dados da Coordenadoria de Informações Estatísticas e Análises Criminais (COINE).
Iniciado no Brasil pelo Centro de Valorização da Vida (CVV), Conselho Federal de Medicina (CFM), e Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), o Setembro Amarelo realizou as primeiras atividades em 2015 concentradas em Brasília. Mundialmente, a Associação Internacional para Prevenção do Suicídio (IASP), estimula a divulgação da causa, vinculada ao dia 10 de setembro, mesmo mês no qual se comemora o Dia Mundial de Prevenção.
A maioria das pessoas com ideias de morte comunica seus pensamentos e intenções suicidas, frequentemente dão sinais e fazem comentários sobre: “querer morrer, “sentimento de não valer pra nada, e assim por diante. Todos esses pedidos de ajuda não podem ser ignorados” adverte o CVV. De acordo com especialistas, é importante ficar atento aos sinais e procurar ajuda profissional o quanto antes. Para isso, pode-se contar com auxílio de psiquiatras para análise clínica e farmacológica, se for o caso, além do acompanhamento psicoterapêutico.
Segundo informações da OMS, 90% dos suicídios poderiam ter sido evitados. Para isso, é importante discutir o tema, tendo em vista que uma das estratégias mais eficazes para combater o suicídio é o diálogo, o qual abre chances para que a possível vítima receba o tratamento adequado.
Das estatísticas para a vida real
Em 2008, a família Mafra viu-se no pior cenário que poderiam estar. O dia estava tranquilo, tudo corria conforme o costume. “Eu estava na sala vendo TV, minha mãe organizando um quarto e minha irmã estava no quarto dele [o pai]. Ele entrou em casa, olhou para mim e foi em direção ao quarto, entrou no banheiro e ouvimos o disparo”, lembra a filha mais nova, com apenas 15 anos na época, Mayara Mafra. A mãe e as filhas correram para o local: o encontraram caído na área do box do banheiro. “Ele estava agonizando. Enquanto minha mãe ligava para o SAMU, eu segurava uma toalha para estancar o sangramento. Foi apenas um disparo no ouvido”, conta.
Era 10 de abril de 2008 por volta das 10h quando João Mafra, 52 anos, decidiu dizer adeus à vida. Mafra tinha porte legal de armas, mas por segurança da família, não divulgaremos dados sobre sua profissão. Apesar do porte legal, era um homem consciente do quão letal um disparo poderia ser. Enquanto viveu, nunca feriu alguém, ou pôs em risco alguma vida. A família desconhece o motivo pelo qual o patriarca simplesmente escolheu aquele dia como seu último.
Para a filha, hoje com 25 anos e responsável por sua própria família, Mayara assume que o sofrimento não passa, acredita que se o assunto tivesse a abordagem que possui hoje, talvez a história pudesse ter sido diferente. Quanto a motivação para seguir em frente ela declara, “Que o único que nos dá força pra superar é Deus, só ele mesmo. E procurar sempre um objetivo na vida, ver além da dor, ver que o que passou, passou,  que ele se foi e não queria que ficássemos sofrendo”.
Centro de Valorização à Vida (CVV)
O CVV Natal, é apenas um dos 98 Postos existentes em todo o país, que durante o Setembro Amarelo, em especial, divulga como todos os outros, maciçamente junto a sociedade o trabalho dos voluntários do CVV, na Prevenção ao suicídio. Só em Natal, de acordo com o Centro, são realizados cerca de 2.500 atendimentos por mês.
O Serviço de Atendimento através do “Quero Conversar”, é totalmente gratuito e sigiloso. Basta ligar para o número 188 e aguardar o atendimento. O voluntário irá ouvi-lo e direcionar o pensamento negativo para a “Valorização à Vida”, fazendo com que o indivíduo desista da ideia do suicídio. Ou também através do chat (CVV WEB), e pela voz/ internet (CVV Virtual) no site www.cvv.org.br, também.
O ITEP\RN não nos forneceu informações sobre dados de suicídios comprovados neste ano.
“SETEMBRO AMARELO” ABORDA A VALORIZAÇÃO À VIDA E COMBATE AO SUICÍDIO NO RN “SETEMBRO AMARELO” ABORDA A VALORIZAÇÃO À VIDA E COMBATE AO SUICÍDIO NO RN Reviewed by Erivan Justino on 10 setembro Rating: 5
Postar um comentário

Romário Bispo