"PRECISAMOS ROMPER PACTO DE MEDIOCRIDADE NA EDUCAÇÃO", DIZ ROGÉRIO MARINHO

O Brasil possui hoje 22% de crianças que não desenvolveram a leitura e somente 11% com nível adequado. Mais de 56% dos alunos brasileiros possuem graves deficiências de alfabetização. Se considerarmos somente os estudantes do Nordeste, 73% demonstraram alfabetização muito insuficiente e apenas 6% dos alunos tiveram desempenho adequado em leitura. Os dados fazem parte da Avaliação Nacional da Alfabetização - 2014 -, coordenada pelo MEC.

Para o deputado federal Rogério Marinho, os números comprovam uma verdadeira "tragédia nacional" na educação brasileira. "Precisamos romper com o pacto da mediocridade, do corporativismo sindical e da irresponsabilidade com os resultados dos estudantes. Mais do que nunca será necessário estabelecer o ensino republicano pautado em evidências científicas, sem doutrinação político-ideológica e sem mistificações: um salto que o Brasil necessita", defende o parlamentar em novo artigo.

Confira no link abaixo o texto, na íntegra.

Tragédia Nacional

Deputado Federal Rogério Marinho

Desde a década de 90, sabe-se que o país vive a tragédia do analfabetismo escolar. A falta de aprendizado é endêmica. A gravidade da situação exigiria das autoridades educacionais enfrentamento corajoso do problema; sem uso de tergiversações e populismo como já é tradição.

Estão preferindo ignorar as mazelas e fantasiar a realidade. Pela Avaliação Nacional da Alfabetização -2014-, coordenada pelo MEC, é possível checar os padrões de aprendizagem dos alunos do 3º ano do ensino fundamental, portanto, nas séries iniciais da vida escolar.

Vejamos alguns números de nossa vergonha: 22% das crianças não desenvolveram a leitura e somente 11% alcançaram nível adequado. Mais de 56% dos alunos brasileiros apresentaram graves deficiências de alfabetização. Considerando os estudantes do Nordeste, 73% demonstraram alfabetização muito insuficiente e apenas 6% dos alunos tiveram desempenho adequado em leitura.

Um sistema de ensino que sequer consegue alfabetizar seus alunos precisa ser repensado e sofrer profunda reformulação. Um total de 6% do PIB é aplicado em educação. Em contrapartida, 12% dos estudantes de 3º ano não aprenderam a escrever. Apenas 10% obtiveram desempenho adequado em escrita. Pasmem! Somente 4% dos alunos nordestinos tiveram desempenho adequado. A ineficiência deveria envergonhar a Nação.

Dentre as causas do fracasso em alfabetizar está a aplicação de metodologias de ensino chamadas de construtivismo ou linguagem global. O fenômeno já foi conhecido em outros países que passaram pela mesma moda pedagógica e queda acentuada do aprendizado. Nenhuma lição da nova ciência da leitura está sendo aplicada no país. O método fônico, comprovadamente mais eficaz, é atacado irracionalmente pelos adeptos do construtivismo. O resultado é a persistência do analfabetismo em altas doses e em todas as etapas do ensino.

De acordo com estudo do Instituto Paulo Montenegro, realizado com a ONG Ação Educativa, em 2012, 38% dos alunos de universidades brasileiras não dominavam habilidades básicas de leitura e escrita. O percentual é assustador: grave problema pedagógico herdado dos primeiros anos do ensino fundamental evidenciando a grande tragédia nacional.

Algumas ações corretivas são inadiáveis: aplicação do método fônico; mudança da grade curricular na formação de professores; instituir avaliação periódica do magistério; formação continuada em função de suas deficiências; restabelecimento do respeito em sala de aula e valorização institucional do mérito escolar, ou seja, premiar o esforço pelo aumento do desempenho.

Precisamos romper com o pacto da mediocridade, do corporativismo sindical e da irresponsabilidade com os resultados dos estudantes. Mais do que nunca será necessário estabelecer o ensino republicano pautado em evidências científicas, sem doutrinação político-ideológica e sem mistificações: um salto que o Brasil necessita.
"PRECISAMOS ROMPER PACTO DE MEDIOCRIDADE NA EDUCAÇÃO", DIZ ROGÉRIO MARINHO "PRECISAMOS ROMPER PACTO DE MEDIOCRIDADE NA EDUCAÇÃO", DIZ ROGÉRIO MARINHO Reviewed by Erivan Justino on 27 junho Rating: 5
Postar um comentário

Romário Bispo