DEPUTADO TOMBA FARIAS ALERTA PARA SITUAÇÃO FINANCEIRA DO RN

Resultado de imagem para TOMBA FARIAS RADIO

Luiz Antônio Lourenço de Farias, ou simplesmente Tomba Farias, é um político cuja experiência como prefeito de Santa Cruz por duas vezes e deputado estadual pode ser resumida num desafio: resolver problemas. Muito antes que se falasse numa economia de guerra, ele promoveu demissões em série na prefeitura de sua cidade e, quando o político só falava em agradar suas bases, ele cobrou impostos atrasados e enfrentou a ira popular.
Ao participar nesta quinta-feira, 28, do programa A Hora é Agora, na rádio Agora FM (97,9), ancorado por Renato Dantas, Tomba Farias foi perguntado sobre quase tudo da política atual do Rio Grande do Norte e do Brasil. Organizamos um resumão com os tópicos mais importantes.
100 dias de Fátima Bezerra
“Justiça seja feita. Ela pegou a situação do Estado já deteriorada. Agora, a governadora precisará fazer o que deve ser feito. Porque nada vai cair do céu. Fátima Bezerra deve vender todos os ativos possíveis para superar a crise. Hoje, quem tem saudade da Cosern como ela era antes da venda? Aliás, a venda da companhia possibilitou fazer várias obras no RN e hoje, a cada novo governador que passa pelo Estado, é uma Cosern nova que se recebe, já que a empresa paga entre R$ 250 milhões a R$ 280 milhões de ICMS todo ano. Na minha opinião, até a Caern deve ser vendida, como também a Potigás e o Centro de Convenções, que funcionará bem melhor com a iniciativa privada. Da mesma forma, o Governo do Estado não deve aportar recursos na educação superior. Hoje, há 9 mil alunos na Uern, dos quais 4.500 são do RN e os demais de outros estados. Pergunto: qual a obrigação do Estado de pagar o ensino (superior) para as pessoas que vem de fora?”.
Bolsonaro X Maia
“O presidente está no caminho errado. Não se resolve nada numa democracia sem o Congresso, não se administra um país sem o presidente da Câmara, sem o presidente do Senado. A hora é de união, já que a urgência do momento é a reforma da Previdência – uma tarefa muito árdua e difícil, diga-se de passagem. E nós sabemos: o País precisa dessa reforma para retomar a trilha do desenvolvimento. O Brasil está com 13 milhões de desempregados, uma crise econômica e política muito grande; os estados estão aí com o pires na mão, enquanto o presidente da República gasta uma manhã assistindo a um filme no cinema. O presidente reconhece que não é um bom conciliador, mas é preciso lembrar mais uma vez Tancredo Neves para quem a política não se fazia sem a presença e uma boa conversa”.
Congresso e Reforma da Previdência
“Eu vejo no Rodrigo Maia boa vontade de levar esse processo da reforma da Previdência adiante. A troca de farpas entre o presidente e Rodrigo Maia precisa ser substituída por uma conversa definitiva sobre a intenção de ambos no processo. O presidente pode ter até boas intenções, quando diz que quer acabar com o fisiologismo, mas não pode se perder em declarações nas redes sociais”.
Filhos de Bolsonaro
“É o problema que mais me preocupa. Eles falam o que vem à cabeça e, o pior, falam em nome de quem? Do presidente da República. Trata-se de um momento delicado que vivemos em que qualquer desequilíbrio pode custar caro ao País”.
Robinson e o rombo
“Robinson está pagando hoje pelos próprios erros. Ele tinha as condições de fazer as mudanças e não fez. E acho que Fátima Bezerra pode entrar no mesmo caminho. Durante sua gestão, Robinson sacou R$ 1,3 bilhão do fundo da previdência dos servidores e se beneficiou do dinheiro da repatriação de brasileiros no exterior, que rendeu mais uns R$ 700 milhões. Acrescente a esta conta outros R$ 670 milhões que o deputado Fábio Faria obteve para a Saúde e que chegou de uma vez para o Rio Grande do Norte. Robinson ainda negociou a conta do Estado com o Banco do Brasil, o que rendeu algo como R$ 180 a R$ 200 milhões. Somando, tudo deu em torno de R$ 3,1 bilhões. E o que aconteceu? O Estado ainda ficou com um déficit de R$ 30 milhões referente ao décimo terceiro dos servidores de 2017 e outros R$ 90 milhões do décimo terceiro de 2018, além das folhas de novembro e dezembro último”.
Representatividade do RN
“Infelizmente, nós perdemos nossos grandes nomes em Brasília. Quando tínhamos essa representação, recebemos coisas importantes. As ambulâncias do Samu, por exemplo. Os R$ 27 milhões trazidos para a reforma do Centro de Convenções. Os R$ 12 milhões que ajudaram na construção do teleférico de Santa Cruz e aí com ajuda do ex-senador José Agripino. Tudo isso foi trazido pelo então presidente da Câmara Federal, Henrique Eduardo Alves. Da mesma forma, ele teve participação na finalização do Museu da Rampa e sob muitos aspectos em obras de pavimentação na cidade de Natal.
Já Fernando Bezerra e Iberê Ferreira de Sousa tiveram participações importantíssimas na atração de recursos federais. Fernando Bezerra, quando foi senador da República e líder no Congresso Nacional, chegou a trazer R$ 130 milhões para os municípios do Rio Grande do Norte. E, nessa época, todo o município recebia ajuda, qualquer que fosse”.
Tomba, prefeito
“Quando assumi a prefeitura de Santa Cruz, uma das minhas primeiras medidas foi demitir 280 funcionários. Na época, a prefeitura tinha mil funcionários da folha de pagamento. Depois de enxugar a folha, eu e minha sucessora pagamos todos os precatórios. Só eu paguei R$ 8 milhões. O prefeito que assumir Santa Cruz em 2020 não encontrará nada para pagar. Implementei o ISS, o IPTU, a CIDE – Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico. Cobramos os tributos devidos, o que sempre gera grande impopularidade. Ou era isso ou um processo por improbidade. Aguentei passeatas populares contra as medidas. E hoje tenho amigos prefeitos que não fizeram o que eu fiz e estão com os bens bloqueados pela Justiça. E, mesmo assim, nunca deixei de ganhar uma eleição em Santa Cruz”.
DEPUTADO TOMBA FARIAS ALERTA PARA SITUAÇÃO FINANCEIRA DO RN DEPUTADO TOMBA FARIAS ALERTA PARA SITUAÇÃO FINANCEIRA DO RN Reviewed by Francisco Erivan Justino on segunda-feira, abril 01, 2019 Rating: 5

Nenhum comentário: