PT BUSCA SER PROTAGONISTA NO SEGMENTO DE OPOSIÇÃO AO GOVERNO BOLSONARO


O Partidos dos Trabalhadores (PT) decidiu encampar a disputa pelo protagonismo na oposição ao governo do presidente Jair Bolsonaro. Em Natal, durante evento organizado pelo diretório nacional do partido na última sexta-feira, 2, lideranças reforçaram o posicionamento da sigla para se mobilizar contra as ações do governo federal.
O ponto de virada ocorreu após a recente derrota da oposição na votação da reforma da Previdência na Câmara, na primeira quinzena de julho, que resultou na criação de uma agenda de “resistência contra os retrocessos impostos por Jair Bolsonaro”, apontou a deputada federal Benedita da Silva (PT-RJ).
“As agendas têm a ver com a defesa dos governadores do Nordeste e com o movimento ‘Lula Livre’, que, para nós, é algo fundamental. Acreditamos que não há democracia com o ex-presidente Lula preso”, disse a deputada.
Apenas no mês de agosto, segundo o Partido dos Trabalhadores, serão realizados sete eventos públicos para fortalecer o papel da legenda como representante da oposição ao governo Bolsonaro. Os petistas planejam, inclusive, lançar um documento com sugestões para o desenvolvimento econômico.
Batizado de Plano Emergencial de Emprego e Renda, a iniciativa vai trazer medidas de combate ao desemprego. “Estamos lutando para impedir que o presidente Bolsonaro entregue o País nas mãos dos estrangeiros. O presidente disse que o ídolo dele é o Donald Trump”, criticou Benedita da Silva.
Durante o evento denominado Seminário Nacional de Cultura e Resistência, organizado pela Fundação Perseu Abramo e pela Secretaria Nacional de Cultura do PT de sexta a domingo (2 a 4 de agosto), a mobilização da legenda também focou na defesa da libertação do ex-presidente Lula, principal liderança do partido, preso desde abril de 2018 para cumprir pena por condenação na Operação Lava Jato.
“Lula é um preso político. Agora nós sabemos, após as reportagens do Intercept, que houve uma grande armação do [ex-juiz federal e atual ministro da Justiça] Sérgio Moro e do procurador federal Deltan Dallagnol para condená-lo”, detalhou a parlamentar fluminense. As reportagens do site Intercept Brasil revelam mensagens supostamente trocadas por membros da Lava Jato no Telegram que sugeririam que o então juiz Moro teria atuado em parceria com os procuradores federais em variados processos, sem a imparcialidade exigida.
Ex-ministro da Cultura dos governos Lula e Dilma Rousseff, o sociólogo Juca Ferreira disse que os petistas têm que “construir, de fato, uma resistência”.
De acordo com ele, que é o atual secretário de Cultura da Prefeitura de Belo Horizonte (MG), o governo federal tem atuado para “destruir a convivência, a possibilidade de debates e a construção de pensamento”. O ex-ministro lamenta o que chamou de passividade da população brasileira em relação às declarações e atitudes do presidente Jair Bolsonaro.
“Acho que a gente poderia ter uma resistência muito maior. É preciso mobilizar a sociedade. A população está atônita, perplexa, sem compreender a profundidade do retrocesso. Eu não tenho dúvidas de que estamos passando por um momento de enfraquecimento do estado nacional, do espírito de nação e das conquistas democráticas e ambientais”, encerrou.
PT BUSCA SER PROTAGONISTA NO SEGMENTO DE OPOSIÇÃO AO GOVERNO BOLSONARO PT BUSCA SER PROTAGONISTA NO SEGMENTO DE OPOSIÇÃO AO GOVERNO BOLSONARO Reviewed by Francisco Erivan Justino on segunda-feira, agosto 05, 2019 Rating: 5

Nenhum comentário: