PAÍS TEVE 159 ÓBITOS POR CHIKUNGUNYA SOMENTE EM 2016

aedes

Os óbitos provocados por chikungunya no Brasil já representam 25% do total de mortes relacionadas ao Aedes aegypti. Em 2016, o País registrou 159 casos de mortes de pessoas que apresentavam a infecção. Isso representa um aumento muito expressivo quando comparado com as mortes identificadas no ano anterior: 14.
O avanço das taxas de mortalidade também destoa da descrição inicialmente feita por autoridades sanitárias da chikungunya – doença que pode provocar dores intensas, ser incapacitante, mas com pouco risco de levar à morte. A maioria dos óbitos foi no Nordeste: Pernambuco (54), Paraíba (32) e Rio Grande do Norte (25).
Em 2016, doenças relacionadas ao Aedes provocaram 794 óbitos. O número de mortes atribuídas à dengue, embora ainda muito expressivo, é menor do que o registrado em 2015. Ano passado, 629 pacientes morreram por causa da dengue. Em 2015, foram 984. A zika provocou seis mortes em 2016.
Uma das maiores preocupações de infectologistas é o avanço da chikungunya. Em 2016, até 17 de dezembro, foram registrados 265.554 casos da doença. As notificações ocorreram em 2.785 municípios brasileiros. A taxa de incidência é de 129,9 casos para cada 100 mil habitantes, um aumento de 594% em relação ao mesmo período de 2015 (38.240) registros.
PAÍS TEVE 159 ÓBITOS POR CHIKUNGUNYA SOMENTE EM 2016 PAÍS TEVE 159 ÓBITOS POR CHIKUNGUNYA SOMENTE EM 2016 Reviewed by Erivan Justino on 24 janeiro Rating: 5
Postar um comentário

Romário Bispo