ANTES DE BOLSONARO, DILMA CORTOU RECURSOS DO MEC NO ANO DA PÁTRIA EDUCADORA

Antes de Bolsonaro, Dilma  cortou recursos do MEC no ano da Pátria Educadora
O presidente Jair Bolsonaro (PSL) não foi o único a cortar recursos da educação logo no seu primeiro ano de gestão. A ex-presidente Dilma Rousseff (PT) tirou R$ 10,5 bilhões, ou 10% do orçamento do Ministério da Educação (MEC), em 2015, quando iniciava seu segundo mandato. Na época, o slogan escolhido pelo governo federal era "Pátria Educadora".
A decisão da petista obrigou a cortes em programas e gerou pagamentos atrasados. Antes mesmo de oficializar o represamento de orçamento no âmbito do ajuste fiscal, a tesoura atingiu programas como o Fies (Financiamento Estudantil) e o Pronatec, as duas principais bandeiras de Dilma na área da educação durante as eleições de 2014.
Depois de uma expansão de financiamentos entre 2010 e 2014, o governo alterou as regras do Fies ainda nos últimos dias de 2014. Restringiu o acesso ao programa e chegou a adiar pagamentos a empresas educacionais. O ano fechou com 313 mil contratos, 57% menos do que o registrado em 2014.
No decorrer do ano, outras iniciativas sofreram com a escassez de recursos, como o Mais Educação, voltado a escolas de tempo integral, e o PDDE (Programa Dinheiro Direto na Escola), que transfere verbas diretamente para as unidades. Bolsas de programas de iniciação à docência e de alfabetização também atrasaram. O corte na verba de custeio provocou reflexos nas universidades federais, que agonizaram com problemas de caixa. O MEC ainda teve de lidar com uma greve de cinco meses de duração dos professores universitários federais.
ANTES DE BOLSONARO, DILMA CORTOU RECURSOS DO MEC NO ANO DA PÁTRIA EDUCADORA ANTES DE BOLSONARO, DILMA CORTOU RECURSOS DO MEC NO ANO DA PÁTRIA EDUCADORA Reviewed by Francisco Erivan Justino on 06 maio Rating: 5

Nenhum comentário: