“ESTRUTURA VICIADA”, DIZ VICE DA FIERN AO DEFENDER PRIVATIZAÇÃO DA CODERN

O vice-presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Norte (Fiern), Pedro Terceiro, defendeu nesta segunda-feira, 4, a privatização da Companhia Docas do RN (Codern).
“A Codern é uma estrutura viciada de muito tempo. Só não sei como seria a viabilidade dessa privatização com as atuais pendências do sal”, afirmou referindo-se ao porto-ilha de Areia Branca, por onde é movimentada quase toda a produção salineira do Brasil.
“É preciso examinar melhor essa questão, considerando o impacto na balança comercial do estado”, observou. Mesmo assim, acrescentou: “organizar e privatizar é o melhor caminho para o estado”.
Pedro Terceiro presidiu da Companhia Docas do Rio Grande do Norte entre 22 de janeiro de 2012 e 30 de maio de 2014.
No começo da manhã, respondendo a uma indagação do Agora RN sobre a privatização das companhias docas, a assessoria do presidente da Codern, Fernando Dinoá, disse que ele não iria se pronunciar a respeito.
Na quarta-feira, 30, em Brasília, integrantes da Confederação Nacional da Indústria (CNI), da Associação Nacional dos Usuários do Transporte de Carga (ANUT) e associações empresariais do setor de transporte defenderam o aumento da eficiência e a privatização das companhias docas, empresas que administram os portos.
Um texto, repercutindo essa posição, foi publicada no site da Federação da Indústria do Rio Grande do Norte. Nele, o presidente da ANUT, Luiz Baldez, afirma que “as chamadas companhias docas são insustentáveis do ponto de vista financeiro”.
Entre os motivos alegados por ele estão o alto endividamento das companhias docas, que “não têm condições de pagar dívidas de curto e longo prazo, não têm como investir nem como fazer dragagem”.
O presidente da ANUT cita que o governo federal só tem três possíveis caminhos: “manter a situação como está com a continuidade de política de subsídios ineficientes; implantar uma nova governança como empresa pública; ou desestatizar a administração pública”.
Já na avaliação da CNI, “a manutenção das estatais na administração dos portos representou a continuidade de uma atuação caracterizada por problemas de gestão e por volume de investimento insuficiente para atender à expansão do comércio exterior do país. O cenário é de baixa capacidade gerencial, elevados passivos trabalhistas e dificuldade para promover as transformações necessárias para elevar a eficiência dos portos públicos a padrões internacionais”.
“ESTRUTURA VICIADA”, DIZ VICE DA FIERN AO DEFENDER PRIVATIZAÇÃO DA CODERN “ESTRUTURA VICIADA”, DIZ VICE DA FIERN AO DEFENDER PRIVATIZAÇÃO DA CODERN Reviewed by Francisco Erivan Justino on 04 fevereiro Rating: 5

Nenhum comentário:

Romário Bispo