“FARRA DOS PARENTES” NO SENADO TEVE QUATRO IRMÃOS DE ZENAIDE ENVOLVIDOS


Três irmãos da deputada federal Zenaide Maia, candidata a senadora do Rio Grande do Norte pelo PHS, e do ex-deputado federal João Maia (PR) foram contratados sem seleção pública para trabalhar no Censo Legislativo, realizado pelo programa Interlegis, do Senado Federal, em 2005. E quem teria viabilizado a contratação foi outro irmão, Agaciel Maia, então diretor-geral da Casa.
O caso foi denunciado pelo portal Congresso em Foco. De acordo com a reportagem, os três irmãos de Agaciel e Zenaide foram pagos com dinheiro público para atuar no mapeamento de 94 câmaras municipais do Rio Grande do Norte, além da Assembleia Legislativa. O Censo Legislativo era um requisito para a manutenção de um contrato de US$ 25 milhões do Senado (de onde Agaciel era diretor-geral) com o Banco Interamericano de Desenvolvimento, o BID.
Foram contratados para executar o Censo no Estado os irmãos Galbê, Zilne e Zoraide, todos Maia. Os três foram admitidos sem processo seletivo. O Congresso em Foco que parentes de outros políticos, além de Agaciel, entraram no processo, numa espécie de “Trem da Alegria”.
À época, Agaciel Maia responsabilizou o então primeiro-secretário do Senado, Efraim Filho, pelas contratações supostamente irregulares. “Pergunta para quem os nomeou. Eles são ligados ao DEM. Não tenho nada a ver com isso. Pergunte ao primeiro-secretário que era responsável pelo Interlegis na época”, afirmou ao Congresso em Foco.
“Tenho 22 irmãos, 13 são vivos. Tenho mais de 2 mil parentes em Brasília. Não tenho que dar conta da vida de todos eles”, reclamou o irmão de Zenaide.
Ex-diretor de Recursos Humanos do Senado, João Carlos Zoghbi afirmou em 2009 – no auge do escândalo dos “Atos Secretos”, no qual Agaciel também está implicado – que o Interlegis era “todo minado”.
“Ali é dinheiro de recurso internacional, de empréstimo do BID, que não passa pelo processo licitatório. Teve uma contratação de R$ 10 milhões de um censo que foi feito diretamente por eles nesse processo. E mais: o Interlegis é todo minado”, disse João Carlos à revista Época.De acordo com o Senado, o custo do Censo foi de R$ 2,5 milhões.
“FARRA DOS PARENTES” NO SENADO TEVE QUATRO IRMÃOS DE ZENAIDE ENVOLVIDOS “FARRA DOS PARENTES” NO SENADO TEVE QUATRO IRMÃOS DE ZENAIDE ENVOLVIDOS Reviewed by Erivan Justino on 10 setembro Rating: 5
Postar um comentário

Romário Bispo