78% DAS MORTES TÊM RELAÇÃO COM O TRÁFICO DE DROGAS, DIZ SECRETÁRIA DE SEGURANÇA




Diante da marca histórica de duas mil mortes em menos de um ano, a secretária de Segurança Pública do Rio Grande do Norte atribui a maior parte delas ao tráfico de drogas e às disputas entre facções criminosas, que dependem desse mercado ilegal. Do total de assassinatos, cerca de 78% estão relacionados com isso, afirma Sheila Freitas.

A secretária aponta o enfrentamento ao tráfico de drogas como principal passo para que o estado possa diminuir a violência nos próximos anos, mas considera que precisa de recursos e policiais suficientes para isso.

"Quando a gente faz um trabalho direto contra o tráfico de drogas, a gente reduz as mortes. Foi o que aconteceu em Parnamirim", diz a titular da pasta. Sheila afirma que o município da Grande Natal teve a criminalidade reduzida após uma série de operações policiais que desarticularam grands quadrilhas. O problema é que o negócio migra.

Neste ano, Ceará-Mirim, também na região metropolitana da Grande Natal, despontou com uma alta de homicídios, atribuídos pelas autoridades policiais ao tráfico. Além disso, a começar pela morte de 26 apenados na Penitenciária Estadual de Alcaçuz, o ano contou com muitas chacinas e casos de múltiplas mortes, lembrou Sheila, ligados também a essas disputas.
78% DAS MORTES TÊM RELAÇÃO COM O TRÁFICO DE DROGAS, DIZ SECRETÁRIA DE SEGURANÇA 78% DAS MORTES TÊM RELAÇÃO COM O TRÁFICO DE DROGAS, DIZ SECRETÁRIA DE SEGURANÇA Reviewed by Erivan Justino on 23 outubro Rating: 5
Postar um comentário

Romário Bispo