HOMENAGEM PÓSTUMA À SANTACRUZENSE MARIA CARMÉM DE ANDRADE



Biografia
Homenagem Póstuma
Maria Carmen de Andrade
Maria Carmén de Andrade nasceu na cidade paraibana de Picuí, PB, em 5 de janeiro de 1912. Quando ainda criança, veio morar na terra de seus familiares: Santa Cruz do Trairí, RN, Brasil. Na vida pública, foi funcionária e chefe da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT), vindo a representar o Estado do Rio Grande do Norte ao tempo do então presidente da República Getúlio Dornelles Vargas - meados do século XX. Neta de ortodoxos missionários católicos portugueses e espanhóis, por séculos e séculos quais descendentes de agentes ligados aos serviços honrosos e especiais da Santa Igreja Católica Apostólica Romana. Daí a sua vocação espiritual e tradição familiar, dona Carmén Andrade, desde jovem até à velhice, sempre teve trabalhos de dedicação profunda à Igreja. Notório foi seu papel na Igreja Matriz de Santa Rita de Cássia, na cidade de Santa Cruz. Com destaque à sua relevância, ela presidiu várias funções importantes no decorrer da vida missionária no clero: zeladora do apostolado; catequista e monitora-geral da catequese de Santa Cruz (sendo um de seus catequizados o atual Arcebispo Metropolitano no Rio Grande do Norte, Dom Jaime Vieira Rocha, 2017); primeira-ministra da eucaristia; mentora espiritual dos noivos (preparação matrimonial psicológica); tesoureira da Igreja; e coordenadora-geral dos jornais dominicais católicos. Também, foi discípula das ideias do visionário Dom Nivaldo Monte e do enérgico Monsenhor Émerson Negreiros. Igualmente, dona Carmén Andrade foi amiga do saudoso Monsenhor Raimundo Barbosa, que já dizia ao seu elogio: “pessoa que sabe muito bem medir as palavras que profetisa em nome da Igreja”; “dona Carmén é exemplo verdadeiro de serva de Deus e da Igreja”. Com seu jeito sereno e humilde de ser, mas de coragem, amor e fé, ela chegou a proferir conselhos espirituais e a ensinar crochê às prostitutas da cidade; em casa ou nos Correios, ela redigia, gratuitamente, dezenas de cartas - inclusive, de amor, a pedido de pessoas pobres e analfabetas da região do Trairi. Seguindo, desse modo, fiel lição de Jesus Cristo quanto ao desapego de preconceitos ou discriminações de qualquer ordem; do respeito e amor ao próximo. Ao longo da vida, dona Carmén Andrade sempre se preservou celibatária ao lado de sua santa irmã Mariinha Lima, esta também dedicada ao altruísmo aos pobres mendigos da cidade; colecionando admiração inestimável por membros da elite clerical e santa-cruzense, pastores de igrejas protestantes, intelectuais, governantes e pessoas humildes de sítios e cidades. Educou, adotou e ajudou a criar dezenas de sobrinhos, sobrinhos-netos e sobrinhos-bisnetos (hoje, pessoas a ocupar relevantes cargos junto à sociedade e à Igreja). Foi, notoriamente, uma sábia Mãe-Santa. Partindo para a eternidade aos 95 anos de idade, em 2 de fevereiro de 2006, deixando sua história presente na memória do município de Santa Cruz e Igreja. 
Por Diego Rocha
HOMENAGEM PÓSTUMA À SANTACRUZENSE MARIA CARMÉM DE ANDRADE HOMENAGEM PÓSTUMA À SANTACRUZENSE MARIA CARMÉM DE ANDRADE Reviewed by Erivan Justino on 09 março Rating: 5
Postar um comentário

Romário Bispo